Cusco Principais Atrações Turísticas

Reproduzir vídeo

Cusco de noche, hermosa vista de la Plaza de Armas del Cusco

Cidade de Cusco

Conhecer a Imperial Cidade de Cusco, "Umbigo do Mundo", Patrimonio Cultural da Humanidade e Capital Arqueológica de América do Sul, é conhecer o coração da prominente cultura inca, um mundo misterioso e mágico.

Os rastros de vestigios incas, coloniais e republicanos estão presentes em cada lugar da cidade.

O seu centro histórico, composto de praças, bairos, templos, vivendas, ruas, escadas e fontes ornamentais, assim como de predios públicos e particulares, apresenta uma harmoniosa combinação de três épocas, na qual destaca a Praça de Armas, a Catedral, a Rua Hatun Rumiyoq (Pedra de 12 Ángulos), o Templo do Qorikancha (Templo do Sol), as suas igrejas e mansões coloniais, junto com o bairo artesanal de San Blas, entre outros atrativos da cidade que foi capital do Imperio Inca chamado Tawantinsuyu.


Parque Arqueológico de Saqsaywaman

É um impressionante complexo arqueológico situado a apenas três quilómetros de Cusco, sobre uma meseta que domina a cidade, a uma altitude de3,555 m.a.n.m. No tempo do Incanato, foi chamado A Casa do Sol e a sua construção foi iniciada pelo Inca Pachakúteq, após 1438.

O Parque Arqueológico de Saqsaywaman cubre uma superficie de 3,093.80 hectareas e alberga mais de 200 sitios arqueológicos, tais como adoratórios, portadas, anfiteatros, terraços, fontes, caminhos, aquedutos e outros recintos, entre os quais destacam os impressionantes complexos de Q´enqo, Pukapukara, Tambomachay e os baluartes de Saqsaywaman, construidos com pedras ciclopeias lavradas pelos incas.


Catedral

A construção da Catedral de Cusco foi iniciada em 1559, após a conquista e fundação espanhola da cidade. Ainda inconclusa, foi levemente afetada pelo terremoto de 1650, e a sua construção foi concluida, em 1669.

O desenho da Catedral é de estilo renascentista, muito ornamental, e no seu interior, encontram-se as melhores expressões da orfebreria colonial, talas em madeira de cedro e aliso, tais como o púlpito e o Altar Maior lavrado em pura prata, assim como uma valiosa coleção de telas da Escola de Arte de Cusco. É assim que a luxuosa e harmoniosa decoração de cadas ambiente, é impressionante.


Templo do Qorikancha (Templo do Sol)

O Grande Templo do Sol, o maior adoratório do Tawantinsuyu, foi o mais extraordinário e deslumbrante templo do Incanato. Segundo os cronistas, alí concentrava-se o ouro e a prata do território todo, pelo fato que estes metais chegavam lá em forma de oferendas para a Cidade Sagrada e o Templo, já que, no tempo do Incanato, os metais preciosos não tinham um valor económico, mais bem, religioso.

As construções dos diferentes recintos apresentam uma arquitetura admirável em muros, paredes, portas, janelas e nichos trapezoidais, assim como nas suas estruturas de pedras finamente polidas, com uniões perfeitas entre sí. Diz-se que este colossal Templo Sagrado estava dedicado a rendir culto às deidades do Incanato, como o Sol, a Lua, as Estrelas, o Relámpago, o Arco Iris e a Água.


Santuário Histórico de Machupicchu

O Santuário Histórico de Machupicchu está situado no distrito do mesmo nome, na Provincia de Urubamba e no Departamento de Cusco, em 13º 9' 47" de latitude sul e 72º 32' 44" de longitude oeste. Foi declarado como Patrimonio Cultural e Natural da Humanidade e incorporado na Lista do Patrimonio da UNESCO, desde 1983. É um território intangível do Sistema Nacional de Áreas Naturais protegidas pelo Estado Peruano, com uma superficie de32,592 hectares(80,535 acresou 325.92 km²), que inclui zonas andinas e amazônicas de selva alta, vales interandinos, desfiladeiros, montanhas e rios, que formam ecosistemas e uma muito variada fauna e flora, como as mais de 200 espécies de orquídeas que se desenvolvem nas suas 9 zonas de vida, indo desde os 1,850 até os6,270 m.a.n.m.

O Santuário de Machupicchu é depositário de uma grande quantidade de sitios arqueológicos de origen inca, como Inca Raq´ay, Intiwatana, Intipata, Choquesuysuy, Chaqchabamba, Wiñaywayna, Phuyupatamarka, Sayaqmarka, Runkuraqay, Wayllabamba, Torontoy, Waynaq´ente, Machuq´ente, Q´ente, qoriwayrachina, Pulpituyoq, Patallaqta, Palqay e o ícono mais remarquável; a Cidade Inca de Machupicchu, Maravilha do Mundo Moderno.

A abundante e delicada biodiversidade dos seus distintos pisos altitudinais, asociada aos sitios arqueológicos de grande valor monumental e histórico, têm ajudado a valorizar a rede de caminhos incas sabiamente construidos pelos nossos antepassados. Atualmente, estos caminhos atrazem muita admiração e preferência para o turismo de aventura, o ecoturismo, a cultura e arqueologia.


Cidade Inca de Machupicchu

Está situada ao noroeste de Cusco, sobre a bacia do rio Vilcanota ou Willcamayu, em quechua (Rio Sagrado, no tempo dos incas), na cordilheira montanhosa de Vilcabamba, e a uma altitude de2.438 m.a.n.m. Machupicchu, a cidade de pedra, construida pelo Inca Pachakúteq, é agora uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno, resguardada pela Montanha Jovem, o impressionante Waynapicchu, assentada entre abruptas montanhas e lugares quase inacessíveis, apresentando um conjunto de edificações, como a Praça Principal, conjuntos de vivendas, escadas e escalinatas, torreões, muros e fontes de água, onde destacam lugares ceremoniais, como o Intiwatana (Observatório solar), o Templo das Três Janelas, o Templo Sagrado, etc., e tudo isso construido com uma increível harmonia urbana, num lugar tão inhóspito, demostrando o avançado nível de desenvolvimento da ingenheria inca.

O Setor Agrário está composto de terraços e terraplenos que bordeam a cidade, acima de profundos precipicios. A superficie construida da cidade é de uns 530 mêtros de comprimento por 200 de largo, incluindo 172 predios na sua área urbana. Associada à paisagem da selva alta, Machupicchu apresenta uma beleza mágica, misteriosa, incomparável e inesquecível.


Caminho Inca a Machupicchu

O Caminho Inca a Machupicchu faz parte das rotas do Qhapaq Ñan, a Rede de Caminhos Incas, que abarcava mais de 30,000 quilómetros, integrando o Imperio Inca do Tawantinsuyu, desde o sul de Colombia, e Quito, em Ecuador, até o rio Maule, em Chile, Salta e Tucumán, em Argentina, incluindo Bolivia e o território peruano, e unindo a costa, serra e selva.

A rota tradicional do Caminho Inca a Machupicchu tem 39.6 quilómetros de comprimento, a partir do Sector de Qoriwayrachina que se encontra no Km. 88 da via ferrea Cusco / Machupicchu Pueblo (Aguas Calientes). Toda a rede de caminhos que conectam a Cidade Inca de Machupicchu, com outros complexos arqueológicos, tem um desenho de construção em estrita harmonia com o entorno natural e a paisagem, já que grandes trechos do caminho são sacadas, na beira de profundos abismos, rodeados de exuberante vegetação, com escadas lavradas na rocha viva.

Atualmente. Existem uma manutenção e sinalização adequadas, permitindo o acesso racional e dosificado à Rede de Caminhos Incas até Machupicchu, que recorrem diferentes pisos ecológicos, desde zonas alto andinas, até vales subtropicais, com uma exuberante e variada flora e fauna. É um caminho muito dinámico, admirável e agradável, porque conjuga história, arqueologia e natureza.


Choquekirao ou Berço de Ouro

Está situado entre 13° 32' de latitude sul e 72° 44' de longitude oeste, a uma altitude de3,033 m.a.n.m., nas estribações do nevado Salkantay, ao norte do vale do rio Apurímac, na Provincia de La Convención, no Departamento de Cusco. Só pode-se aceder a Choquekirao, por meio de um caminho inca, desde o povoado de Cachora, no Departamento de Apurímac, em programas turísticos de 4 dias, com equipamentos de camping, carregadores e mulas.

A grande cidade, construida pelos incas, é uma maravilha arquitetónica que apresenta impressionantes terraços, uma Praça Principal ou Ceremonial, lugares sagrados, residencias reais, aquedutos e construções em pedra situadas em terraços, em distintos níveis e distancias, os quais se comunicam por meio de escadas e caminhos.

A área onde está edificada a cidade de Choquekirao abriga uma importante fauna principalmente composta de condores, tarucas, vizcachas, raposas, zorrinos, pumas, beijaflores, ursos e o galinho das rochas; a Ave Nacional do Peru. Na sua flora, destacam samambaias gigantes, o ichu (Erva brava de altura) et uma grande variedade de orquídeas, entre as quais ressalta a bela Wakanki.


Complexo Arqueológico de Pisaq

O Complexo Arqueológico de Pisaq é um dos mais forzosos centros monumentais incas do Vale Sagrado. É admirável pelas suas colossais construções de impecável acabamento, conjuntos de terraços ou "andenerías" simétricos perfeitamente ensamblados, os seus centros cerimoniais, como o Intiwatana que devía servir para observar os movimentos solares, pelos seus lugares sagrados, pequenas torres, muralhas, o seu cemiterio, os seus setores urbanos, construções de pedra, ruazinhas, escadas e aquedutos, para irrigar os seus setores agrícolas e urbanos; é dizer que foi um lugar imponente e à sua vez, mágico e misterioso.

Está situado acima do cerro mais alto que domina a localidade colonial de Pisaq, sobre uma superficie seca e rochosa.


Complexo Arqueológico de Ollantaytambo

O Complexo Arqueológico de Ollantaytambo está situado a 90 quilómetros da cidade de Cusco, e se chega alí de ônibus, numa hora e 20 minutos, pela estrada asfaltada do Circuito do Vale Sagrado dos Incas. Está construido sobre duas montanhas, num lugar muito estratégico que domina o vale todo ao redor, e pelas suas características, considera-se que foi um complexo militar, religioso, administrativo e agrícola.

Este monumento apresenta impressionantes construções, com enormes poliedros que formam os muros e partadas trapezoidais dos seus lugares sagrados e do templo, onde se aprecia a fachada frontal composta de seis monolitos em pórfido vermelho, perfeitamente ensamblados.


Complexo Arqueológico de Chinchero

O Complexo Arqueológico de Chinchero, é situado a 28 quilómetros da cidade de Cusco e está conetado com ésta, pela estrada asfaltada do Circuito do Vale Sagrado dos Incas. Este complexo foi construido por Túpac Inca Yupanqui e apresenta extraordinários vestigios incas, tais como conjuntos arquitetónicos urbanos, cerimoniais e produtivos, assim como extensões agrícolas e redes viais. No povoado, a igreja, de estilo colonial, alberga belas pinturas da Escola de Arte de Cusco.

O povoado colonial está justo ao lado do complexo arqueológico e construido sobre alicerces e moros incas, e a sua gente consiguiú manter os seus costumes ancestrais. Nos domingos, tem uma muito típica feira artesanal e agropecuaria, na cual ainda está sendo praticado o antigo sistema inca da troca.


Piquillaqta (Cidade pre-inca)

Foi declarada como Parque Arqueológico Nacional, com uma área de3,421 hectarese está situada na Provincia de Quispicanchis, a uns32 km. ao leste da cidade de Cusco. É um complexo pre-inca, cujo apogeu teve lugar entre os anos 800 e 1100 d.C., no periodo correspondente ao desenvolvimento da Confederação Regional Wari.

Piquillaqta está composta de uns 700 predios, 200 « canchas » (Apartamentos) e 504 « qolqas » (Depósitos). Calcula-se que pode haver tido uma população de umas dez mil pessoas. A sua estrutura urbanística correspondia a uma ordem geométrica harmoniosa, dividida em bloques de ruas retas, e segundo o arqueólogo Mc. Evan, a cidade continia varios setores complementários. O administrativo, ceremonial, urbano, defensivo e um sistema de caminhos. Os seus predios tiniam 2 e até 3 andares, com paredes altas, feitas com pedras unidas com barro, que eram grossas pela base e delgadas pela cima.


Moray (Centro de Experimentação Agrícola)

É uma construção circular, com mais de30 metrosde profundidade e varios aneis concêntricos de terraços, no seu interior, que houvesse podido ter sido utilizado como uma espêcie de laboratório agrícola, já que cada um dos terraços apresenta condições climáticas de distintas zonas ecológicas, demostrando que os incas teveram um surprendente conhecimento em geografia, meteorologia e agricultura.

Na cosmovisão andina, Moray é considerado como um centro magnético de reconeção com a Mãe Terra ou Pachamama.


Tipón

É um complexo arquitetónico inca que merece uma grande admiração, pela sua excelente tecnologia hidráulica representada por fontes ornamentais e canais de água.

Possui residências reais, jardíns, terraços, terraços em escada e muros. Pelo desenho de alta engenheria e qualidade das fontes de água, acredita-se que devia ter sido um adoratório e centro de experimentação hidráulica.


Andahuaylillas (Capela Sistina de América)

Andahaylillas é um formoso povoado, no qual destaca a Igreja Colonial de San Pedro, conhcida como a Capela Sistina de América. Construida no inicio do século XVII, ostenta altares dourados e ofebreria de prata, assim como telas e murais da Escola de Arte de Cusco.


O Parque Nacional do Manu

O Parque Nacional do Manú tem sido reconhecido pela UNESCO, como Patrimonio Natural da Humanidade e anteriormente, esta mesma organização o reconheceu como Zona Núcleo da Reserva de Biosfera do Manú. Está situado no suloeste do Peru, e ocupa territórios dos departamentos de Cusco e Madre de Dios, com uma superficie de 1´909,800, dividida em três grandes zonas.


  • Parque Nacional, com 1´532,806 ha.
  • Zona Reservada, com257,000 ha.
  • Zona Cultural, com120,000 ha.

Possui uma enorme riqueza ecológica, commais de 20,000 epêcies de plantas, umas 1,000 espêcies de aves, 1,200 de borboletas e 200 de mamíferos, entre os quais destacam o jaguar, a lontra do rio, 14 espêcies de macacos, como o leoncito; o menor do mundo, com 100 gr. De peso e a maquisapa de 9 quilos.

No Manú, encontra-se a variedade toda de pisos ecológicos que existem na Amazonia, devido à variação altitudinal que vai desde200 m., até quase4,000 m.a.n.m. Possui quase todas as formações ecológicas subtropicais do leste peruano, onde existem espêcies e ecosistemas de muito valor científico, que fazem do Manú uma reserva natural muito apreciada. Por exemplo, numa só hectare de bosque tropical, foram classificadas até 250 diferentes variedades de árvores.

Da para chegar no Manú desde Cusco, viajando de avião leve, até o Aerodromo de Boca Manú ou em transporte terrestre, até o embarcadeiro de Atalaya, e logo, continuar a viagem em lancha motorizada, pelo rio Alto Madre de Dios.


Vale Sagrado dos Incas

O Vale Sagrado dos Incas é um dos circuitos preferidos pelos visitantes extranjeiros, nacionais e locais, pelos atrativos culturais e naturais que oferece num clima templado e muito saudável.

Desde o tradicional povoado colonial de Pisaq que apresenta uma feira artesanal típica, passando por localidades assentadas nas beiras do rio Vilcanota, como Calca e Urubamba, com produtores do melhor milho do mundo, de qualidade de exportação, até fazer a visita dos complexos arqueológicos de Pisaq, Ollantaytambo e Chinchero; por dizer, precisa-se de um dia enteiro, para conhecer e desfrutar os encantos do Vale Sagrado.


Inti Raymi ou Festa do Sol

O Inti Raymi é uma festa cerimonial de invocações e oferendas ao Sol, que os incas celebravam com muita solemnidade e veneração, para rendir-lhe culto. Atualmente, esta festa está escenificada em varios lugares sagrados da cidade de Cusco, o principal sendo a Esplanada de Saqsaywaman, baixo um impressionante desplegue artístico, com formosas trajes e choregrafias, criando um cuadro especial no Santuario de Saqsaywaman que, cada 24 de junho, está frequentado por uma multidão de habitantes de Cusco, assim que por la grande quantidade de visitantes extranjeiros e nacionais que dam maior hierarquia à festa mais importante dos incas.


Warachikuy, Rito Guerreiro Inca

O Warachikuy, oficialmente declarado Festividade de Identidade Nacional, equivalente ao Inti Raymi, era um rito guerreiro realizado pelos jovens da nobreza inca, quem eram sometidos a dificéis provas físicas de destreza, risco e valor, para pasar da juventude à madurez.

O Inca presidia as competições que, ao dizer dos cronistas, realizavam-se durante varios dias, em distintos lugares, com contundentes confrontações físicas. Os ganadores eram hierarquizados e declarados aptos para a guerra e para exercer funções de homens adultos. Hoje, o Glorioso Colegio Nacional de Ciencias de Cusco, organiza e escenifica este rito ancestral, na Esplanada de Saqsaywaman, no terceiro domingo do mês de setembro de cada ano.


Santa Teresa (A nova e melhor alternativa para cegar a Maqchupicchu)

O povoado de Santa Teresa, situado na beira da selva, a 4 horas da cidade de Cusco, lhe oferece varias opcões de turismo de aventura e recreação, num clima subtropical e numa exuberante natureza, lhe dando tambêm a alternativa de chegar fácilmente a Machupicchu Pueblo (Aguas Calientes), pelo fato que está bem perto (10 quilómetros por trêm e um trecho de estrada de6 km.).

Desde a cidade de Cusco, tem varias formas de chegar a Santa Teresa, combinando trêm e ônibus ou indo só de ônibus, camioneta, automóvil, moto, bicicleta ou fazendo uma caminhada pelo Caminho Inca de Machupicchu, Salkantay ou Choquekirao, e tambêm, chegando desde Quillabamba, "A Cidade do Eterno Verão", visto que tem um excelente clima e uma estratégica posição geográfica.


Banhos Termo-medicinais de Cocalmayo

É um paraíso natural, na selva subtropical, que tem todas as instalações de um pequeno balneário, com as suas três piscinas de águas medicinais transparentes, procedentes do subsolo, que o convertem no lugar ideal para o descanso, o relaxamento e a terapia.

A sua infraestrutura lhe oferece vestuários, serviços higiênicos, duchas, hidromassagens, piscinas com distintas temperaturas, assim como quedas de água e chorreiras, numa bela e fascinante paisagem natural.

Alêm disso, o convida a degustar alguma bebida exótica ou um delicioso prato típico.


CANOPY "Rabo de macaco"

É uma das mais recentes e espetaculares atividades de aventura extrema, de pura adrenalina, que consiste em deslizar de uma montanha à outra, por meio de uma poleia enganchada num harnés de cintura, por cabos anclados na rocha.

É indescriptível a emoção de atravessar o ar, por cima das montanhas, dos vales e rios, a uma velocidade de60 km./hora. Éste é o mais alto canopy da América do Sul, com 2,500 mêtros de cabo, distribuidos em seis trechos, com o mais comprido medindo mais de 400 mêtros e o mais alto, se espichando a mais de 150 mêtros acima do chão.


Mais sobre Cusco: