Principais Atrações Turísticas

A Praça Maior de Trujillo


Por ordens de Diego de Almagro, Martín de Astete traçou esta praça, como centro da cidade. Na parte principal da Praça Maior, se observa o Monumento de La Libertad, uma escultura barroca de mármore, obra do alemão Edmundo Muller.

A Catedral


Está situada na Praça Maior (Plaza de Armas), e foi construída em 1666. Conserva valiosas obras de arte, especialmente telas da Escuela Cusqueña de Arte e esculturas. Também, possui o Museu Catedralício que exibe objetos vinculados à liturgia, talhas e pinturas do período colonial, entre os quais destacam duas telas: "A Negação de São Pedro" e o retrato de São João Baptista. Caracterizam a este edifício, o teto, decorado com vigas policromadas e a cripta, adornada com pinturas murais dos apóstolos.

O Convento El Carmen


Edificado em 1759, é um dos melhores conjuntos arquitetônicos da cidade, composto dum templo e um convento de dois claustros. A sua pinacoteca alberga uma importante coleção dumas 150 telas, na sua maioria dos séculos XVII e XVIII, entre as quais destacam especialmente, telas da Escola de Quito e da Flamenca.

O Museu de Arqueologia, Antropologia e História da Universidade Nacional de Trujillo


Este museu apresenta restos arqueológicos vinculados às distintas culturas pre-hispanas que se desenvolveram na Região La Libertad. Encontra-se na Casa Risco, famosa pelos seus pátios decorados com murais. Destacam objetos de cerâmica, ourivesaria, tecidos e arte plumária.

O Centro de Veranejo de Huanchaco


Este veraneio se encontra a uns 13 km da cidade de Trujillo ou a uns 15 minutos de automóvel. Conta a lenda que, uns 800 anos atrás, desembarcou em Huanchaco, o Príncipe Tacaynamo, com o seu séquito, para fundar a primeira dinastia Chimú. Nas suas águas, ainda navegam os cavalinhos de totora; balsas tradicionais usadas pelos pescadores da costa norte peruana.

O Complexo Arqueológico de Chan Chan


Está situado a 5 km no noroeste de Trujillo, no vale de Moche (10 minutos de automóvel). Este centro urbano pre-hispano é a maior cidade de barro da América pre-hispana, e foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade, pela UNESCO, em 1986. Chan Chan teria sido a capital do reino Chimú, abarcando originalmente, mais de 20 km², desde as proximidades do porto de Huanchaco, até o cerro Campana. Os arqueólogos estimam que Chan Chan teve uma população de mais de 100 mil habitantes.
Na sua estrutura, se distinguem praças, vivendas, depósitos, oficinas, ruas, muralhas e templos piramidais. Os seus enormes muros estão profusamente decorados, com relevos de figuras geométricas, estilizações zoomorfas e de seres mitológicos. O recorrido pelo sítio arqueológico se complementa com a visita do Museu de Sítio.

A Huaca do Sol e a Huaca da Lua


Encontram-se a 8 km no sul da cidade de Trujillo (15 minutos de automóvel). A Huaca do Sol funcionou como centro político-administrativo e a Huaca da Lua, como centro cerimonial. Entre as duas, está a Zona Urbana composta por vivendas, grandes avenidas, ruazinhas, corredores e praças. Estes componentes confirmam a alta organização política, religiosa, econômica e social dos Moches.
A Huaca da Lua está composta por templos superpostos, de acordo a distintas etapas do poderio mochica. Em algumas paredes, dá para observar formosos murais policromados, cujas figuras, claramente definidas, representam o deus Ai-apaec. No templo, os arqueólogos têm descoberto uma tumba contendo mais de 40 guerreiros sacrificados.

A Huaca O Dragão ou Arco Iris


A 4 km da cidade de Trujillo (10 minutos de automóvel), se encontra esta pirâmide de adobes, cuja construção teria sido realizada no inicio da época da cultura Chimú e no fim da cultura Tiahuanaco - Wari, entre os séculos X e XI d.C. A edificação tem uma base de forma quadrangular e paredes decoradas com altos relevos, representando figuras zoomorfas e antropomorfas. O nome de Dragão se deve a uma destas figuras que representa a um ser bicéfalo, com incontáveis patas, similar a um dragão. Os investigadores consideram que uma das funções deste lugar, foi cerimonial (Estaría vinculado a rituais em honor ao arco íris e outros fenômenos naturais relacionados com a fertilidade).

A Huaca A Esmeralda


Esta Huaca está situada a 3 km da cidade de Trujillo, no terreno da cooperativa de produção O Cortijo (8 minutos de automóvel). Este sítio arqueológico está associado à cultura Chimú e foi construído, vinculado a Chan Chan. A edificação tem base retangular (65 metros de comprimento e 41 metros de largo) e duas plataformas, com rampas centrais. As suas paredes de adobes estão decoradas com altos relevos, com motivos zoomorfos e geométricos.

O Centro de Veraneio de Huanchaco


Está situado a 13 km. no noroeste de Trujillo (15 minutos de automóvel). Segundo a lenda, 800 anos atrás, desembarcou em Huanchaco, o Príncipe Tacaynamo, com o seu séquito, fundando a primeira dinastia Chimú. Nas suas águas, ainda navegam "cavalinhos de totora" que são balsas tradicionais utilizadas pelos pescadores da costa norte do Peru, desde a época precolombina. É uma das praias preferidas, na costa do Peru, pelos amantes do surfe.

O Complexo Arqueológico El Brujo


Situado a 60 km de Trujillo, no vale de Chicama, pertencente à Província de Ascope (1 hora e 25 minutos de automóvel). Está conformado por três edificações que são: A Huaca Preta, Huaca Cao e Huaca Cortada. Ali, os investigadores têm encontrado indícios de ocupação, desde o período pre cerâmico (5.000 anos de antiguidade). Destaca uma grande pirâmide (Muro de sacrifício) de adobe, de 30 metros de altura, em cujas paredes os mochicas plasmaram uma riquíssima iconografia. A imagem mais conhecida é a do "Degolador de Cabeças"; um dos frisos policromados mais importantes, com a figura do degolador que se repete, nas cenas rituais representadas na cerâmica.

A Reserva e o Santuário Nacional de Calipuy


Estão situados a 164 km no leste de Trujillo (8 horas de automóvel), até chegar à cidade de Santiago de Chuco. É um espaço biogeográfico localizado entre os 840 e 3.600 m.a.n.m., com uma extensão de 4.500 hectares, que alberga e protege um dos maiores bosques de Puyas de Raymondi existentes, ademais de espécies de animais andinos, como o guanaco. O seu clima se caracteriza por chuvas abundantes, entre os meses de dezembro e abril, e estão situados na região suni ou de terras úmidas.

O Centro de Veraneio de Pacasmayo


A 150 km de Trujillo (2 horas de ônibus). Os conquistadores espanholes fundaram o porto de Pacasmayo, em 1775, construindo logo, um molhe, com fins econômicos. Destacam construções, como a Casa Grace, datando de 1850. Nas suas praias, se pratica o surfe e o mergulho.

O Museu da Senhora de Cao


Está situado no Complexo Arqueológico El Brujo, a 70 km. da cidade de Trujillo, no Distrito de Magdalena de Cao e na Província de Ascope. Este museu é a morada permanente desta governante mochica que reinou sobre as terras do norte do Peru, uns 1.800 anos atrás, e cuja múmia foi descoberta, em perfeito estado de conservação, em 2005. Este museu recria uma longa sequência de desenvolvimentos culturais ocorridos no Complexo Arqueológico

El Brujo, ao longo de mais de 5.000 anos. A pesar de provir de diferentes épocas, os objetos que a integram, são todos originários deste lugar.

Mais informações la Libertad (Trujillo):