Puno Principais Atrações Turísticas

Principais Atrações Turísticas de Puno

Cidade de Puno

A Capital Folclórica do Peru oferece importantes recursos turísticos, naturais e culturais, como a Catedral, com o seu imponente Altar Maior, construída no século XVII, a Sacada do Conde de Lemus, também da mesma época, onde está atualmente situado o Complexo Cultural do Instituto Nacional de Cultura de Puno, o Museu Municipal Dreyer que apresenta uma coleção de peças de cerâmica e ourivesaria, têxtis, assim como esculturas pre incas e incas, o histórico Arco Deustua, construído em pedra lavrada, o emblemático Cerro de Huajsapata; o ponto de vista panorâmica natural da cidade e do Lago Titicaca, a Casa do Corregidor; casona colonial do século XVII, hoje convertida na Casa de Exposições Culturais de Arte de Puno e a velha Casona do Glorioso San Carlos, fundada pelo Libertador Simón Bolívar, entre muitas outras relíquias ancestrais e contemporâneas.

Entre as manifestações religiosas, as festividades da Virgem da Candelária são muito fastuosas e multitudinárias, com expressões de fé católica, danças folclóricas, comida típica regional e celebrações, com muita alegria, durante o mês de fevereiro.


Lago Titicaca

A Reserva Nacional do Lago Titicaca, joia do planalto peruano-boliviano, abarca o lago navegável mais alto do mundo, que se encontra na Região Puno, pelo lado peruano, a uma altitude de 3.800 m.a.n.m. Tem um espelho de água de 8.562 km², com muitas ilhas habitadas por populações nativas quechuas e aymaras. O Titicaca mede 204 km. de comprimento por 65 km. de largo, pertencendo ao Peru num 55,73% e a Bolívia, num 44.27 %. É um sistema ecológico que possui uma rica e variada fauna, principalmente composta de diversos tipos de patos, assim como duma grande variedade de peixes e rãs, como o suche, o carachi, a truta, o pejerrey e a rã gigante. Além disso, tem uma interessante flora representada por 12 variedades de plantas aquáticas e flora terrestre da ribeira, com mais de 64 géneros de plantas.

Este lago é o principal motor da economia dos povoados constituídos nas suas beiras, ilhas e redores. As atividades turísticas e culturais, junto com as de trocas comerciais, entre os povos fronteiriços do Peru e Bolívia, estão muito relacionadas com a influência do Lago Titicaca. Os povos nativos ancestrais das ilhas são importantes etnias dedicadas a atividades agropecuárias, assim como à pesca e ao artesanato, mantendo os seus costumes tradicionais ancestrais, e mais recentemente, foram incorporados em atividades de turismo vivencial.

Do ponto de vista arqueológico, cada ilha possui vestígios históricos e monumentais de culturas pre incas e incas, como recintos sagrados e cerimoniais que, atualmente, seguem sendo usados pelos sacerdotes andinos, para os ritos de oferenda à Pachamama ou Mãe Terra, em agradecimento pela fertilidade da terra, como mais um dos elementos da cosmovisão andina, que vêm dos antigos.

Em quanto ao turismo, tem alcançado um notável desenvolvimento, com uma importante infraestrutura de embarcações motorizadas, desde pequenos barcos, até cruzeiros catamarán, canoas, deslizadores, botes e balsas de totora ou cavalinhos de totora, que oferecem os seus serviços a milhares de turistas, interligando os passeios às diferentes ilhas. Por dizer, existe uma atividade dinâmica e próspera sobre o Lago Titicaca e aos seus redores.


Sillustani

O Complexo Arqueológico de Sillustani se encontra numa meseta do planalto, a 3.900 m.a.n.m. e a uns 30 quilômetros da cidade de Puno. É uma das maiores e mais admiráveis necrópoles pre incas e incas, com as suas monumentais e gigantescas Chullpas que são torreões circulares de pedra, muitas das quais superam os12 metrosde altura e têm um diâmetro maior na parte superior, do que na base, desafiando as leis da física. Diz-se que foi o cemitério dos antigos Qollas. Existem aproximadamente 90 chullpas disseminadas numa área de 150 hectares, combinando-se com a paisagem que bordeia a lagoa Umayo.


Ilhas Flutuantes dos Uros

As Ilhas Flutuantes dos Uros estão situadas sobre o Lago Titicaca; o lago navegável mais alto do mundo (3.827 m.a.n.m.), a 14 quilômetros do porto da cidade de Puno, e a viagem em canoa motorizada, se realiza em20 a30 minutos. Estas ilhas estão fabricadas e habitadas por um dos povos mais antigos de América, dedicado à produção artesanal, caça, pesca e a dissecação de animais. Formam um conjunto de 60 ilhas flutuantes, construídas com a abundante totora (Planta aquática) existente no lago. Este povo aymara e quechua é muito hospitalário e o seu artesanato, especialmente os tapizes, artigos de lã e animais dissecados são muito apreciados e podem ser adquiridos a preços moderados.


Ilha Amantaní

Está situada a 36 km. no nordeste da Bahia de Puno e tem uma superfície total de 9 quilômetros quadrados, a uma altitude de 3.817 m.a.n.m. e a viagem em canoa motorizada, desde Puno, até Amantaní, se realiza em umas 3 horas e 30 minutos.

A Ilha de Amantaní é também conhecida como a "Ilha do Amor", pelo que tem um encanto especial. Ali, se nota a energia positiva da cosmovisão andina e a sua população é conformada por oito comunidades nativas quéchuas, maiormente dedicadas à agricultura, à criança de aves de coral e ao artesanato. São bem hospitalários e Você pode compartilhar os seus costumes, vivencias e a sua comida típica. O seu artesanato e arte têxtil são muito apreciados, assim como o seu talhado em pedra, a sua cerâmica e outros artigos decorativos ou utilitários. Na parte mais alta da ilha, tem dois pontos de vista panorâmicos naturais, desde os quais se tem a melhor vista do lago, na sua extensão toda.

Do ponto de vista arqueológico, dá para observar dois templos pre incas dedicados à fertilidade da terra. São lugares sagrados construídos em diferentes colinas e são ainda utilizados para rituais cerimoniais. Além disso, ainda existem outros recintos pre hispanos e um cemitério de múmias. Realmente, Amantaní é um lugar belo e inesquecível.


Ilha Taquile

Esta ilha está situada a35 km. ao leste da Bahia de Puno, frente à Península de Capachica (Quechuas) e à Península de Chucuito (Aymaras). Tem uma superfície total de 11 quilômetros quadrados e o povoado se encontra na cima da ilha, a 4.050 m.a.n.m e a240 metrossobre o nível do Lago Titicaca que significa Puma de Pedra.

A viagem em canoa motorizada, entre Puno e Taquile, se realiza em umas 3 horas. Normalmente, a gente chega ao porto de Chilkano, para desembarcar junto às 532 escalinatas que se tem que ascender, para chegar ao povoado mesmo, o qual se faz em uns 25 minutos. Mas, em recompensa, esse esforço nos permite entrar num mundo diferente, onde a gente se encontra com o passado, presente e futuro.

A ilha possui um grande valor étnico e cultural, pelo que os seus habitantes são claramente quechuas, principalmente dedicados ao artesanato, à pesca, pequena agricultura e ao turismo, entrementes ficam muito arraigados às suas tradições e aos seus costumes ancestrais. Tem um mercado artesanal, onde destaca a arte têxtil de Taquile. Também, existem sítios arqueológicos pre incas e incas, com lugares sagrados, como Mulsina; um centro cerimonial e ritual de oferenda à Pachamama (Mãe Terra). Sem dúvida, Taquile é um lugar mágico de cultura viva, com maravilhosas vistas das suas praias encantadoras.


Ilha Suasi

É uma das mais belas e fascinantes ilhas do Titicaca. Encontra-se baixo uma eficiente administração privada, oferecendo aos visitantes alternativas para participar em atividades de turismo ecológico, como caminhadas por sendeiros ao redor da ilha, visitas a áreas protegidas, para observar a flora e as aves silvestres, visitas a áreas de cultivos andinos e parcelas de ervas medicinais, passeios de balsa de totora ao redor da ilha e caminhadas pela praia. A ilha conta com um hotel bem equipado, que funciona totalmente com energia solar, e tem ligação de Internet e telefonia.

É recomendável chegar a Suasi por barco e retornar a Puno ou Juliaca, em camioneta, por uma estrada não asfaltada que corre pela ribeira do Lago Titicaca, com espetaculares vistas panorâmicas de belos lugares. A ligação da ilha com a estrada se faz mediante uma navegação muito curta.


Península de Llachón

Llachón é um povo distinto, na sua indumentária, os seus costumes, manifestações artístico-culturais, atividades produtivas e as suas relações com forasteiros. É um povo participativo nas tarefas comunitárias, nas quais os visitantes podem participar.

De fato, na península, a gente pode realizar diversas atividades culturais, recreativas e esportivas. Por exemplo, faremos uma caminhada de 3 quilômetros até a colina Akikarus, onde se encontra o centro ritual e cerimonial de Inkakancha; um Lugar Sagrado dos incas, conformado por duas mesas de pedra; uma retangular e a outra, circular, o qual, atualmente, segue sendo usado, em práticas ancestrais incas, para fazer invocações e tributos à Pachamama (Mãe Terra), em agradecimento pela fertilidade da terra. Sem dúvida, é um Lugar Sagrado de muita Energia.


Mais sobre Puno: